Limpadora de praia recolheu 70 toneladas de resíduos em três semanas

© Ascom Slum

© Ascom Slum

Fernando Coelho – Ascom Slum
28/01/2014 – 15:36

Em operação há três semanas, a limpadora de praia adotada de modo pioneiro no Brasil pela Superintendência de Limpeza Urbana de Maceió (Slum) já removeu 70 toneladas de resíduos durante o seu período de funcionamento.

A atuação do equipamento está sendo inicialmente executada nas praias de Ponta Verde, Pajuçara e Avenida. Durante o dia, ela opera em trechos menos movimentados na praia da Avenida, entre a comunidade de pescadores de Jaraguá e o Emissário Submarino. Nos turnos da noite e da madrugada, a máquina percorre as praias de Pajuçara e de Ponta Verde.

“O equipamento tem atendido bem às expectativas. Ele tem conseguido retirar da faixa da areia tanto o resíduo pequeno quanto o grande”, avalia Gustavo Novaes, superintendente da Slum.

Fabricado com tecnologia alemã, o modelo Beach Tech 2000 realiza o serviço de limpeza e higienização da faixa de areia de modo mais eficiente que outros dispositivos utilizados anteriormente. A máquina puxada por um trator recolhe o lixo a até 30 centímetros de profundidade e possui capacidade de armazenar um metro cúbico e meio de resíduos.

Outro diferencial está na capacidade de revolver a areia para além da superfície, mas reter apenas os resíduos – inclusive os de menor tamanho e volume – e retornar a areia de volta à praia. Deste modo, outra conseqüência positiva está na redução dos custos de limpeza, uma vez que a máquina retira o mínimo de areia possível durante a operação.

“Isso tem nos ajudado também a pensar no redimensionamento do efetivo de limpeza de praia”, informa Gustavo Novaes. “Dos 72 agentes que atuam na praia, 16 deles também trabalham na faixa de areia. Temos conseguido uma redução da necessidade de atuação deles na área onde o equipamento tem atuado”, complementa o gestor.

Além de ter atuado bem na faixa de areia mais molhada – algo que não ocorria com a máquina de fabricação nacional –, o equipamento também se mostrou eficiente na remoção do sargaço. E mais: de acordo com o fabricante, a Beach Tech tem a capacidade de higienizar a areia da praia após três meses de utilização contínua.

“Há uma satisfação grande das pessoas. Temos ouvido elogios dos barraqueiros da região em razão da qualidade de limpeza da areia”, comemora o superintendente. “Em uma das nossas visitas, os barraqueiros pedem que a máquina passe antes na faixa de areia para eles instalarem as barracas e cadeiras e assim ajudar a atrair os clientes”, finaliza.

2 ideias sobre “Limpadora de praia recolheu 70 toneladas de resíduos em três semanas

  1. Antes de mais nada gostaria de parabenizar a administração municipal pela busca de soluções na qualidade e limpeza da praia local.
    Torna-se necessário algumas observações:
    1- A retirada de 70 toneladas de micro-lixos pelo equipamento. Essa informação é impossível. E 3 semanas esse equipamento ou qualquer outro disponível no mercado mundial, não retiraria tal quantidade. Os micro-lixo são resíduos de pequeno porte e baixíssimo peso. Assim, a retirade de 70 toneladas de micro-lixos não é operacionalmente verdadeira.
    2- A limpeza mecanizada na faixa de areia mohada não é recomendada por nenhum organismo governamental em todo o mundo. Essa faixa de areia é um gigantesco ecossistema de vida marinha.Esse trabalho na areia molhada além de desnecessário e uma violação ambiental sem precedentes. As áreas de areia molhada, conforme pesquisas nacionais, apresentam baixo índice de contaminação bacteriológica , assim não necessitando de tratamento.
    3- A utilização de produtos químicos arsperjados durante o peneiramento e outra desnecessidade absoluta. Uma vez peneira e aerada, a areia é tratada apenas pelos raios do sol – de forma absolutamente gratuita e natural.
    No litoral do Paraná os equipamentos de limpeza mecanizada já saõ utilizados desde 2.011 com grande sucesso. Os resultados das pesquisas realizadas pelos órgãos ambiental, demonstram que nossos equipamentos reduzem a presença de bactérias em até 90% já na primeira semana de trabalho(sem uso de qualquer produto químico).
    Parabéns a administração municipal pela iniciativa. mas a verdade deve prevalecer, para que ação não aprente um tom “milagros” a respeito de um equipamento fabricado fora do Brasil.

  2. Fica uma curiosidade para esse tipo de máquina que pode ser apelidada de Tatuizão 2000 (Beach Tech 2000);

    O que será da microfauna que viveria principalmente na faixa de areia entre as marés (local de tatuís, pulgas de praia, alguns moluscos e outros relacionados)?
    Para conhecer um pouco sobre veja o artigo – http://www.anp.gov.br/brnd/round6/guias/PERFURACAO/PERFURACAO_R6/refere/Praias%20arenosas.pdf – Diagnóstico sobre praias arenosas.

    O Beach Tech 2000 é capaz de remover até 30 cm de profundidade. O que ela não levará além do lixo? Importante conhecer a microfauna que vive nessas praias.

    Muito melhor que limpar é deixar de sujar. Esses são os desafios de gerir este tipo de situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *