Workshop Anual de Fulmares

Jan van Franeker demonstra uma necropsia inicial  – ©Heidi Acampora

Jan van Franeker demonstra uma necropsia inicial – ©Heidi Acampora

por Heidi Acampora, da ABLM – Associação Brasileira do Lixo Marinho
26 de outubro de 2014

Entre 17-22 de Outubro, aconteu o workshop anual para o estudo de fulmares, na ilha de Texel, na Holanda. O workshop de fulmares é apresentado por Jan Andries van Franeker, que começa explicando sobre o monitoramento de lixo marinho por fulmares no Mar do Norte, e logo depois realiza uma necrópsia inicial para ensinar sobre a metologia padrão utilizada para os trabalhos da OSPAR (Convenção Oslo-Paris). A partir daí, os participantes se colocam em pares para realizarem suas próprias necrópsias nas aves providenciadas para o workshop, durante todo o fim de semana. Definitivamente uma oportunidade incrível para afiar suas técnicas e aprender novas. A padronização de técnicas e metodologias é uma importante característica da pesquisa, pois permite que dados de diferentes estudos possam ser comparados e validados então.

Nos próximos dias que seguiram, os participantes do workshop, deram apresentações sobre seus trabalhos atuais e nos também tivemos a oportunidade de sair para uma observação de aves no campo. O tempo estava um pouco ruim, mas com sorte tivemos alguns momentos quando a chuva deu uma trégua e pudemos correr para fora da van e passar algum tempo observando as aves (algumas interessantes para os livrinhos de algumas pessoas :)).

Eu aproveitei a oportunidade do workshop para levar algumas das minhas aves aqui da Irlanda, incluindo um fulmar que encontrei em Dog’s Bay, Connemara, no início do ano, e realizar as necrópsias com o Jan. Eu também fiquei alguns dias a mais após o workshop para estudar melhor as técnicas de análise de conteúdos estomacais e assim, analisar também o conteúdo estomacal do meu fulmar irlandês e o resultado foi bem perturbador. A pobre ave havia ingerido uma enorme quantidade de plásticos, especialmente pedaços de isopor e outros fragmentos.

O limite ecológico para a OSPAR é que não mais que 10% dos fulmares no Atlântico Norte contenham mais que 0.1g de plástico em seu estômago. Atualmente, todos os fulmares estudados ultrapassam essa meta em grandes proporções.

O workshop de fulmares foi uma experiência bastante válida para mim no sentido de calibrar meus métodos, me atualizar nas pesquisas atuais em aves marinhas e lixo marinho, fazer contatos profissionais e ainda fazer amigos. Com certeza foram dias bem divertidos e eu definitivamente tenho planos de voltar no ano que vem.

Fulmares aguardam sua vez de serem dissecados :) - ©Stefan Weiel

Fulmares aguardam sua vez de serem dissecados – ©Stefan Weiel

Dissecando minha ave irlandesa, auxiliada pelo Jan - ©Heidi Acampora

Dissecando minha ave irlandesa, auxiliada pelo Jan – ©Heidi Acampora

Meu fulmar irlandês tinha ingerido uma quantidade imensa de plástico - ©Jan van Franeker

Meu fulmar irlandês tinha ingerido uma quantidade imensa de plástico – ©Jan van Franeker

Grupo participante do workshop - ©Stefan Weiel

Grupo participante do workshop – ©Stefan Weiel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *