Barra da Tijuca ganha mais uma edição “Praia Feliz é Praia Limpa”

Ação contará com 200 colaboradores do GPA Clube que vão conscientizar banhistas e turistas sobre pequenos resíduos na Barra da Tijuca

“Praia Feliz é Praia Limpa”. Foto: Murillo Tinoco

“Praia Feliz é Praia Limpa”. Foto: Murillo Tinoco

por Imprensa GPA
19 de novembro de 2014

No dia 23 de novembro, próximo domingo, das 7h30 às 11h, o Pão de Açúcar promoverá na Barra da Tijuca, altura do posto 4, atividades voltadas para os temas saudabilidade e sustentabilidade. Cerca de 200 colaboradores que participam do programa de esporte do GPA, o GPA Clube, percorrerão 500 metros de areia com o objetivo de limpar a praia. Eles convidarão o público a fazer esta limpeza e também a participar de um grande treino de corrida e caminhada na ciclovia, além de vários exercícios na areia e aula de frescobol.

Com esta ação, o Pão de Açúcar busca conscientizar os cariocas e turistas sobre a necessidade de destinar corretamente pequenos resíduos antes de descartá-los na natureza. O projeto “Praia Feliz é Praia Limpa” recebe ainda o apoio e o patrocínio de Taeq, marca própria do GPA voltada a quem busca se alimentar bem a qualquer momento do dia. Durante o evento, será promovida degustação de alguns produtos da marca.

Ainda no domingo, as promotoras do Pão de Açúcar distribuirão sacolinhas sustentáveis (feitas à base de cana de açúcar) para que os banhistas possam participar, não deixando detritos na areia.

Serviço:
Evento: Projeto “Praia Feliz é Praia Limpa”
Local: Praia da Barra da Tijuca – altura do Posto 4-RJ
Data: dia 23 de novembro
Horário: 7h30 às 11h

Liberdade para opinar

Conferência Nacional do Meio Ambiente inova para permitir maior participação da sociedade

© Global Garbage Brasil

© Global Garbage Brasil

DA REDAÇÃO

Qualquer pessoa interessada na temática do meio ambiente pode participar da 4ª Conferência Nacional do Meio Ambiente (CNMA), que tem como tema principal a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Basta reunir-se com um grupo, discutir os assuntos que envolvem a questão do lixo e encaminhar as propostas de ações para a etapa nacional, que acontece em outubro, em Brasília. Esses espaços são denominados conferências livres, uma nova modalidade de participação popular.

Para auxiliar neste processo, a Coordenação Executiva Nacional da 4ª CNMA elaborou um manual de conferências livres, com o passo a passo para organizar um evento como esse (confira o manual completo). “É mais uma possibilidade de diálogo aberto entre grupos, entidades e pessoas; é mais um espaço para dar voz à diversidade”, afirma o coordenador geral da 4ª CNMA e diretor do Departamento de Cidadania e Responsabilidade Socioambiental do Ministério do Meio Ambiente, Geraldo Vitor de Abreu.

Ele reforça, ainda, o desejo de que essas conferências aconteçam em todo país, pois são espaços que representam um grande exercício de cidadania e democracia, possibilitando a participação de diferentes atores em busca de um objetivo comum.

CIDADANIA E DEMOCRACIA

O prazo para realização das conferências livres, que começou em 1º de abril, segue até 10 de setembro. As primeiras reuniões já começaram. Qualquer cidadão ou segmento social que queira participar da 4ª CNMA pode organizar uma conferência livre, pois não é necessária convocação formal. Elas podem acontecer em escolas, salas de aula, casas de detenção, casas de amigos, repartições públicas, aldeias indígenas, comunidades quilombolas, universidades, associações de bairro e tantos outros espaços.

A quarta edição da conferência vai debater a implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, com foco nos eixos de produção e consumo sustentáveis, redução dos impactos ambientais, geração de emprego e renda e educação ambiental. Quem participar das conferências livres, terá a chance de sugerir ações para a implementação da política, representando uma oportunidade do governo federal acolher ideias vindas de todo o país.

Em uma conferência livre não é necessário debater os quatro eixos temáticos, diferentemente das conferências municipais, regionais, estaduais ou distrital. As regras para realizar a modalidade livre incluem a leitura do eixo ou eixos temáticos escolhidos antes de iniciar o diálogo nos grupos de trabalho, depois elencar, ao final, até 20 ações prioritárias e enviá-las ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), por meio do preenchimento de um formulário.

Quarta, 15 Maio 2013 14:42
Última modificação em Sexta, 17 Maio 2013 18:02
Ministério do Meio Ambiente