Banhistas encontram tartaruga verde morta na praia de Garça Torta, AL

Voluntários do Instituto Biota encontraram plástico dentro da tartaruga.
Esse é o 14º animal achado em menos de dois meses no estado.

Banhistas disseram que tinha um plástico na boca da tartaruga quando ela foi encontrada. (Foto: Jonathan Lins/G1)

Banhistas disseram que tinha um plástico na boca da tartaruga quando ela foi encontrada. (Foto: Jonathan Lins/G1)

Do G1 AL

Mais uma tartaruga verde foi encontra morta no Litoral de Alagoas, na tarde desta terça-feira (15). Banhistas encontraram o animal boiando na Praia de Garça Torta, em Maceió. Segundo o Instituto Biota, só nos últimos 45 dias, foram encontradas 14 tartarugas no estado. Muitas são encontradas com vida, mas, mesmo sendo tratadas, não resistem.

O Instituto Biota foi acionado e, chegando ao local, constatou que se tratava de uma tartaruga juvenil. Como os banhistas relataram que tiraram um plástico da boca do animal, os voluntários e estudantes de biologia resolveram abrir a tartaruga para verificar se também tinha plástico no intestino dela.

“Somente um veterinário pode identificar a causa da morte do animal, mas como nem sempre podemos contar com um profissional que esteja disponível para fazer a necropsia, nós abrimos só para verificar se houve ingestão de plástico. E realmente houve”, diz Waltyane Bonfim.

Estudantes de biologia e voluntários do Biota encontraram plástico dentro da tartaruga. (Foto: Jonathan Lins/G1)

Estudantes de biologia e voluntários do Biota encontraram plástico dentro da tartaruga. (Foto: Jonathan Lins/G1)

A tartaruga foi enterrada na praia pelo voluntário e estudante de biologia Oscar Cadique, 18. “A gente ainda não fez o balanço deste ano, mas tenho a sensação de que os casos de tartarugas encalhadas estão aumentando em nosso litoral”, relata Waltyane Bonfim que trabalha no Biota desde 2009.

Essa foi a mesma sensação da aposentada Clícia Leite. Ela é de Porto Alegre e sempre visita a filha que mora em Garça Torta.”Eu sempre venho pra cá, mas nunca tinha visto tanta tartaruga morta. Em 15 dias, eu encontrei duas enormes por aqui mesmo, duas pequenas perto de Guaxuma e hoje essa, de tamanho médio. É muito triste saber que elas estão morrendo e que nós, seres humanos, somos os grandes responsáveis”, afirma se referindo ao lixo deixado nas praias e que elas acabam ingerindo.

15/10/2013 17h59 – Atualizado em 15/10/2013 18h09
G1 AL