A Comlurb participou neste domingo (07/12) de uma ação de conscientização na Prainha!

por Comlurb
08/12/2014 12:07:00

Foto: Comlurb

Foto: Comlurb

A Comlurb participou neste domingo (07/12) de uma ação de conscientização de limpeza na Prainha. O evento foi promovido pela Associação de Amigos e Surfistas da Prainha e contou com a presença do subprefeito da Barra, Alex Costa.

O Grupo Chegando de Surpresa animou os banhistas com musicas sobre limpeza urbana e meio ambiente, com a participação do gari Renato Sorriso e equipes de conscientização do Programa Lixo Zero. Enquanto a festa acontece, as equipes do Lixo Zero estarão conversando com moradores e visitantes sobre a importância de descartar o lixo corretamente, mantendo limpa a praia.

“Tenho o maior orgulho em trabalhar aqui, pois foi por onde consegui terminar a faculdade e não desisti.”

Diego Souza Rocha, 29 anos, nasceu no bairro da Ilha de Guaratiba, zona oeste da cidade maravilhosa. E onde reside até hoje. Carioca e de família simples, Diego passou por muitas dificuldades como a maioria dos brasileiros. Mas não se acomodou na posição de excluído social. “Muitas pessoas ficam tristes e desanimadas com os problemas que têm na vida. Uma das coisas que me incentiva muito é a minha alta autoestima, tenho que lutar”, afirma o rapaz batalhador.

Diego Souza Rocha. Foto: Moskow

Diego Souza Rocha. Foto: Moskow

por Andre Aicaua, da Revista Reticência
31/10/2014

O jovem começou sua história de conquistas ainda na infância, quando foi trabalhar com a jardinagem – atividade peculiar da região de Guaratiba, com grande concentração de hortos. Logo se destacou na profissão pelo seu entusiasmo e alegria ao cuidar das plantas. Com isso, conquistou a admiração e a confiança dos clientes. Nada demais para quem carrega um sorriso largo em seu rosto. E, por causa desse seu jeito otimista e perseverante, seus chefes o incentivaram a fazer um concurso público. A empresa escolhida foi a COMLURB e o cargo público, gari.

Estudou e se dedicou mais uma vez à superação. Em 2006 foi aprovado. Fez treinamento na coleta de rua pelas redondezas de Irajá e Marechal Hermes por nove meses. O expediente era puxado, começava às 6h e se estendia por todo o dia. Só chegava em casa às 21h. “No início tudo é mais difícil. Na época diziam que o gerente era carrasco. Mas pra mim foi show, aprendi muito. Iniciante tem que ser cobrado mesmo”, relembra satisfeito com seu esforço.

Além da jornada de trabalho extensa e exaustiva, ainda tinha a dificuldade de locomoção. Num dia de eleição, foi escalado pra trabalhar no turno da noite. E não conseguiu voltar para casa. O último ônibus com destino a Campo Grande partia de Marechal à meia noite. De lá até Guaratiba ficaria sem transporte. O que fez Diego dormir no alojamento da empresa.

Mais uma vez sua dedicação chamou a atenção. Agora, o gerente da região, Cesar Balona, sinalizou o interesse em incentivar seu funcionário a crescer na empresa. “Sr. César, para crescer tem que estudar, não é? Não tenho condição. Acordo às 3h da manhã e chego em casa às 21h. Fui tentar fazer um curso de informática, exausto, dormi na sala de aula”, contou.

Durante o trabalho, numa das ruas de Bento Ribeiro, ficou sabendo o nome do gerente do Recreio – Moacir. E foi até lá num domingo de chuva só para esbarrar com o tal Moacir. Explicou seu caso e soube da necessidade de contingente para as praias de Prainha, Abricó e Grumari. E soube também da dificuldade de pessoal para trabalhar na região. Moacir precisava de funcionários que morassem próximo ao Grumari e assim foi feita a mudança.

No início do verão de 2007, após nove meses de ralação no asfalto e 38km de deslocamento de sua casa, Diego passou a trabalhar na praia. A apenas nove quilômetros de distância da sua casa.

Trabalhando na coleta do lixo das Praias de Abricó e Grumari, pensou em cursar arquitetura e paisagismo. Seguiu seu impulso, estudou e concluiu o curso de Gestão Ambiental. No primeiro período sofreu preconceitos por parte de alguns colegas de turma, quando falava sobre sua profissão. Mesmo assim, nunca escondeu o orgulho de ser o que é e de fazer o que faz. “No segundo período aquelas pessoas que me olhavam de rabo de olho já não estavam mais. Enquanto eu, com todas as dificuldades, fui ficando até me formar. O tema do meu trabalho final na faculdade foi o descarte de lixo eletrônico”, fala com orgulho.

A oito anos trabalhando na praia, conquistou o carinho e a amizade dos banhistas e dos surfistas locais. O gestor ambiental passou a avaliar a conscientização da população em relação a degradação do meio ambiente e ao reaproveitamento de materiais recicláveis. Segundo Diego, os frequentadores da praia estão mais conscientes. E vê uma grande melhoria nos 2,4km da orla do Grumari. Observa que a quantidade de lixo recolhido é menor que há sete anos atrás. E alimenta seu otimismo com a perspectiva de uma vida mais sustentável. Com muitas ideias na cabeça e a vontade de ser uma pessoa melhor, ele afirma que não exerce a função de gari apenas pelo salário, mas porque gosta.

Coleta seletiva, descarte de lixo, programas educacionais e conscientização dos banhistas, compostagem, parcerias entre a iniciativa privada e a companhia de limpeza municipal, a criação de uma praia modelo e mais um monte de ideias. Isso tudo é combustível para alimentar seu desejo de cuidar da natureza e exercer sua cidadania em contato direto com o meio ambiente.